Doces Regionais

575536_205429449569132_1630128019_n

Apresentação

Numa boa mesa Portuguesa nunca poderão faltar os Doces Regionais que tanto caracterizam a nossa identidade: mediante a Região, são muitos os costumes característicos e, consequência disso, é muita a Doçaria associada.

 

Na nossa Região, os Doces mais expressivos, e cujos anos de históra “adoçam” o seu sucesso são aqueles que nos honramos de produzir há 30 anos: O Pão-de-Lo, as Cavacas, e os Beijinhos de Amor. Independentemente da ocasião, e fazendo jus ao ditado que diz que “o que é doce nunca amargou”, fita sempre bem uma destas nossas ofertas, acompanhada daquilo que o Douro de melhor nos dá: o generoso Vinho do Porto.

 

Se já conhece, sabe com o que conta. Se ainda não conhece, deixe-se deliciar e convencer pelo que de melhor temos para lhe oferecer!

575536_205429449569132_1630128019_n

Numa boa mesa Portuguesa nunca poderão faltar os Doces Regionais que tanto caracterizam a nossa identidade: mediante a Região, são muitos os costumes característicos e, consequência disso, é muita a Doçaria associada.

 

Na nossa Região, os Doces mais expressivos, e cujos anos de históra “adoçam” o seu sucesso são aqueles que nos honramos de produzir há 30 anos: O Pão-de-Lo, as Cavacas, e os Beijinhos de Amor. Independentemente da ocasião, e fazendo jus ao ditado que diz que “o que é doce nunca amargou”, fita sempre bem uma destas nossas ofertas, acompanhada daquilo que o Douro de melhor nos dá: o generoso Vinho do Porto.

 

Se já conhece, sabe com o que conta. Se ainda não conhece, deixe-se deliciar e convencer pelo que de melhor temos para lhe oferecer!

Pão-de-Ló em forno a lenha

O Pão-de-Ló é uma referência na doçaria tradicional portuguesa, tendo sido proposta uma candidatura, em 2011,  às 7 Maravilhas da Gastronomia, na categoria de doces. A qualidade e excelência deste doce regional foram reconhecidas pela Casa Real Portuguesa, tendo sido atribuído à sua criadora, D. Leonor Rosa da Silva, o título de “Doceira da Casa Real”.

 

O autêntico Pão-de-Ló, como é o caso do do Estrada Real, é cozido em forno de lenha em formas de barro. Não hesite em provar este doce e deixe-se deliciar pelo que Portugal tem de melhor!

12512398_833408026771268_1791893485508087967_n
Pão-de-Ló em forno a lenha

O Pão-de-Ló é uma referência na doçaria tradicional portuguesa, tendo sido proposta uma candidatura, em 2011,  às 7 Maravilhas da Gastronomia, na categoria de doces. A qualidade e excelência deste doce regional foram reconhecidas pela Casa Real Portuguesa, tendo sido atribuído à sua criadora, D. Leonor Rosa da Silva, o título de “Doceira da Casa Real”.

 

O autêntico Pão-de-Ló, como é o caso do do Estrada Real, é cozido em forno de lenha em formas de barro. Não hesite em provar este doce e deixe-se deliciar pelo que Portugal tem de melhor!

12512398_833408026771268_1791893485508087967_n
beijinhos2

Beijinhos-de-Amor

Reza a lenda que os Beijinhos de Amor surgiram juntando a tradição da já secular arte doceira a uma história de amor.

 

As “pequenas bolinhas” de massa, as cavaquinhas, depois de juntas e fundidas com o açúcar em ponto, formam o tão apreciado e precioso Beijinho que, depois de ingerido, se desfaz lentamente na boca, como se de um doce, suave e delicioso beijinho se tratasse.

 

E Então? Vai deixar-se contagiar por esta bela história?

Beijinhos-de-Amor

 

Reza a lenda que os Beijinhos de Amor surgiram juntando a tradição da já secular arte doceira a uma história de amor.

As “pequenas bolinhas” de massa, as cavaquinhas, depois de juntas e fundidas com o açúcar em ponto, formam o tão apreciado e precioso Beijinho que, depois de ingerido, se desfaz lentamente na boca, como se de um doce, suave e delicioso beijinho se tratasse.

E Então? Vai deixar-se contagiar por esta bela história?

beijinhos2

Beijinhos-de-Amor
de Chocolate

Reza a lenda que os Beijinhos de Amor surgiram juntando a tradição da já secular arte doceira a uma história de amor.

 

As cavaquinhas, depois de juntas e fundidas com o açúcar em ponto, formam o tão apreciado e precioso Beijinho que, depois de ingerido, se desfaz lentamente na boca, como se de um doce, suave e delicioso beijinho se tratasse.

 

Mas havia alguém que não gostava muito dos Beijinhos normais, e para satisfazer o coração da sua cara metade, inventou os Beijinhos de Amor de Chocolate.

12993570_844674915644579_9111597913647244653_n
Beijinhos-de-Amor de Chocolate

Reza a lenda que os Beijinhos de Amor surgiram juntando a tradição da já secular arte doceira a uma história de amor.

 

As cavaquinhas, depois de juntas e fundidas com o açúcar em ponto, formam o tão apreciado e precioso Beijinho que, depois de ingerido, se desfaz lentamente na boca, como se de um doce, suave e delicioso beijinho se tratasse.

 

Mas havia alguém que não gostava muito dos Beijinhos normais, e para satisfazer o coração da sua cara metade, inventou os Beijinhos de Amor de Chocolate.

12993570_844674915644579_9111597913647244653_n
cavacas

Cavacas

As Cavacas, também elas já de tradição secular e oriundas da terra do Pão-de-Ló (Margaride), tem uma textura fofa e macia.

Pode dizer-se que são um “parente” próximo do Pão-de-ló e dos Beijinhos de Amor, e diz-se também que a sua história remonta à altura em que os Doces eram feitos em casa e se destinavam a ofertas a “Nossa Senhora”, provavelmente pelo seu aspeto angelical e celestial fazendo, a sua branca cobertura, lembrar a leveza das nuvens, na esperança de boa sorte.

 

Se assim o era, não sabemos. Sabemos sim que na Páscoa é algo que nunca falta numa boa mesa Portuguesa.

Cavacas

As Cavacas, também elas já de tradição secular e oriundas da terra do Pão-de-Ló (Margaride), tem uma textura fofa e macia.

Pode dizer-se que são um “parente” próximo do Pão-de-ló e dos Beijinhos de Amor, e diz-se também que a sua história remonta à altura em que os Doces eram feitos em casa e se destinavam a ofertas a “Nossa Senhora”, provavelmente pelo seu aspeto angelical e celestial fazendo, a sua branca cobertura, lembrar a leveza das nuvens, na esperança de boa sorte.

 

Se assim o era, não sabemos. Sabemos sim que na Páscoa é algo que nunca falta numa boa mesa Portuguesa.

cavacas

Tradição e excelência desde 1985